H@_VIDA_DEPOIS_DOS_40
Make your own free website on Tripod.com







Nome: Tarciso






Contatos:

meu e-mail





meu site sobre o dízimo
e outros temas católicos:


Minha Página Católica

This page is 

powered by Blogger. Isn't yours?

apadrinhe uma criança
apadrinhe uma criança


CAROS NAVEGANTES:

os textos deste blog são de minha autoria, exceto quando for citada outra fonte




Blogs Coletivos
nos quais contribuo:


verso&prosa
encadeados


aos quatro
ventos







BLOGS PREDILETOS:

Não peço permissão para linkar (e, óbvio, deslinkar), mas se alguém não permitir o link aqui basta me alertar que eu removo, ok?!:

blog da
loba


blog do
camafunga


blog do
dirceu


coisas
de tio


cora
coralina


doce
rotina


entra
quem quer


fluxo da
consciência


jeanete
ruaro


joão
poeta


marcos
caiado


nada
demais


o micróbio e
suas infecções


oceanos
e desertos


pedro
paez


poeta
morto


pretensos
colóquios


profana
inquisição


rebel
bia


regis
marques


retalhos e
pensamentos


rodrigo setti's
place


sonhos
e utopias


teatro
da mente









O Ponto de Encontro dos Blogueiros do Brasil



Anel de Poesia
[ Inscreva seu site | | lista dos sites ]
[ aleatorio | <Anterior | Proxima> ]



tô no Blog List












online












24.7.07

frio da tarde
 
A vantagem do silêncio é que se pode ouvir todos os ruídos imperceptíveis, os zumbidos da mente e até os zunidos dementes que vagueiam pela cabeça oca que transporto sobre meu tronco amortecido... o vinagre é ácido mas tempera e ajuda a cauterizar pensamentos doloridos... qual é o sentido de viver feito um robô (no automático?!). Um aroma suave invade a sala trazido pelo vento vespertino, lá fora balançam os pinheiros que me parecem tristonhos mas ainda assim dispostos a ceder algo do seu perfume para tornar mais aprazível a angústia esmaecida do momento. Me sinto insosso em tardes frias - e ainda assim sereno. Sabe quando sua audição parece tão ampliada que você ouve o que não se diz, quando a sua mente parece tão aberta que você pensa o impensável, quando a sua vida parece tão leve que você praticamente flutua?!... Hoje eu queria me sentir assim. Mas o frio úmido dessa tarde não vai permitir... espero o sol voltar a iluminar ao meu redor e novamente haver calor dentro de mim...

verbo rasgado por tarciso


é possível comentar por aqui também

Comentando:



21.7.07

tudo e nada
 
os conteúdos vazios
preencheram todo o nada
e agora enluarada
esta sua alma plena
voa tranquila e serena
rumo ao tudo
rumo ao nada...

verbo rasgado por tarciso


é possível comentar por aqui também

Comentando:



9.7.07

amaro ácido
 
Eu podia escrever um livro de auto ajuda. Mas já há tantos. Eu poderia escrever algumas receitas, mas tudo já está devidamente catalogado. Criar seria apenas variar alguns detalhes. Eu podia escrever um livro de sonetos, mas isso poderia encher a paciência de dois ou tres leitores que teriam a pachorra de o ler. Eu poderia fazer um album das minhas melhores fotos e talvez eu conseguisse meia dúzia. Eu poderia deixar de ser pernóstico e criar alguma coisa original, mas a síndrome da mediocridade me contagiou irremediavelmente e já não passo de um pretensioso escritor de bobagens. Me leio consternado. Onde anda aquela antiga verve?! Onde anda escondida aquela poesia? Onde anda a minha paciência em transbordar o açude e burilar palavras pontiagudas? Palavras que feriam a pele dos meus sentidos e furavam meus ouvidos feito aço do arame. O universo anda tão repleto de palavras vazias. Parecem formigas carregando folhas em correições non-sense. Eu gosto de observar os formigueiros e uma vez - ligeiramente embriagado - deitei-me sobre um deles. Algumas lembranças da infância que me assediavam perderam o encanto. Onde anda aquela saudade de mim quando criança? Estou ficando velho - estou ficando amargo?! Não, não pode ser! Odeio velhos carcomidos, reticentes, resmungantes, desvalidos. É de embrulhar o estômago! Eu quero de novo a minha juventude, eu quero o meu elixir da longa vida. Eu quero de novo ser o que sempre fui. Até agora pouco - e como faz tão pouco! Ufa... eu vou é virar essa página!

verbo rasgado por tarciso