H@_VIDA_DEPOIS_DOS_40
Make your own free website on Tripod.com







Nome: Tarciso






Contatos:

meu e-mail





meu site sobre o dízimo
e outros temas católicos:


Minha Página Católica

This page is 

powered by Blogger. Isn't yours?

apadrinhe uma criança
apadrinhe uma criança


CAROS NAVEGANTES:

os textos deste blog são de minha autoria, exceto quando for citada outra fonte




Blogs Coletivos
nos quais contribuo:


verso&prosa
encadeados


aos quatro
ventos







BLOGS PREDILETOS:

Não peço permissão para linkar (e, óbvio, deslinkar), mas se alguém não permitir o link aqui basta me alertar que eu removo, ok?!:

blog da
loba


blog do
camafunga


blog do
dirceu


coisas
de tio


cora
coralina


doce
rotina


entra
quem quer


fluxo da
consciência


jeanete
ruaro


joão
poeta


marcos
caiado


nada
demais


o micróbio e
suas infecções


oceanos
e desertos


pedro
paez


poeta
morto


pretensos
colóquios


profana
inquisição


rebel
bia


regis
marques


retalhos e
pensamentos


rodrigo setti's
place


sonhos
e utopias


teatro
da mente









O Ponto de Encontro dos Blogueiros do Brasil



Anel de Poesia
[ Inscreva seu site | | lista dos sites ]
[ aleatorio | <Anterior | Proxima> ]



tô no Blog List












online












29.6.07

verso e reverso
 
Todos os poemas enfrentam o vazio da expressão e a ânsia de revelar segredos que o poeta procura desvelar para si mesmo. Poeta e poesia são namorados na inspiração, noivos na redação e casados na consumação do poema. Um par perfeito e longe da perfeição que é perseguida pela pena do poeta - a sua meta em versos de expressar a plenitude da verdade que ele traz adormecida, regalada e escondida no fundo do coração.

verbo rasgado por tarciso


é possível comentar por aqui também

Comentando:



14.6.07

quem sabe?!
 
Na fase do caracol o bom é o colchão, o travesseiro e o lençol. Na fase do beija-flor o bom é a brisa, o sol – bem longe do cobertor.
Lá fora hoje a brisa é fria e me enlevo num torpor. Não sei se agora é dia, não sei se o sol adia o momento de se pôr. Se durmo ou se me acordo, de quase nada recordo, a não ser que hoje pode ser uma quinta-feira qualquer... e num quintal qualquer se poderão encontrar borboletas e abelhas, cigarras e formigas, lesmas e caramujos... quem sabe - ninguém nos vê, quem dera - eu e você...

verbo rasgado por tarciso