Make your own free website on Tripod.com

            H@ VIDA DEPOIS DOS 40

...com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas...

terça-feira, 2 de junho de 2009

ansiedades

Não sei direito se o mundo tem quatro cantos como às vezes se costuma dizer. Não sei sequer se há um único canto no mundo. Tenho ouvido muitos gemidos silenciosos e poucos risos genuínos. Tenho assistido tantas dores que até o meu sorriso costumeiro hoje está emudecido e o meu coração não quer alienar-se à quieta dor do meu irmão! Na sucessão dos fatos espero por um novo alvorecer que nos liberte dessa escuridão em pleno dia. A noite não demarca o tempo e o relógio soturno da madrugada insone parece disposto a não continuar dançando seus ponteiros na sucessão das horas, dos minutos, do tempo que falta para a nossa angústia terminar...

3 Comentários:

  • Às 2/6/09 23:36 , Blogger Márcio Vandré disse...

    O alvorecer está sendo trabalhado com tanto esmero que demora.
    Dizem certas línguas que ele virá brilhante, apontando a sua luz incandescente para os de péssimo coração.
    Estes evaporarão num piscar de olhos. No outro piscar, uma terra nova.

    Utopia.

    Bem, gostaria de agradecer o comentário.
    Espero que retorne.
    Um abraço.

     
  • Às 16/6/09 08:18 , Blogger O Micróbio II disse...

    Qual angústia... qual carapuça! :-)

     
  • Às 25/6/09 13:45 , Blogger nuh disse...

    A dor da angústia é fina, e mordaz. Como o barulho do giz que risca o quadro, como um sorriso de lado, infeliz. A dor da angústia é para quem sabe sentir dor... E não é qualquer um. O sol já vem... Só espera, que ele vem.

     

Postar um comentário

<< Início