Make your own free website on Tripod.com

            H@ VIDA DEPOIS DOS 40

...com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas...

sexta-feira, 20 de março de 2009

fragilidade humana

No limite só posso dizer que não sei de onde vim e tampouco sei aonde vou. Quando lançava o meu olhar sobre os rochedos incrustrados nas montanhas da minha infância, um tremor percorria todo o meu ser tomado de espanto e admiração. Desde aqueles primevos dias de imberbe ingenuidade já me sentia perturbado e aturdido pela desproporção de mim e o magma em rocha exposto sobre os montes. Então fechava os olhos – e na densa escuridão que se formava, via as estrelas do mundo abissal em seu avesso e eu, aquele ser tão frágil no começo – agora ainda mais frágil que conheço um ínfimo de mim, do mundo, do bem e do mal...

1 Comentários:

  • Às 21/3/09 21:43 , Blogger Marinho, F. disse...

    Eu tenho medo, sabe, Tarcisio?

    Eu tento fugir dessas questões, mas até então não consegui encontrar as chaves para me desacorrentar delas.

    Malditas questões sobre o que somos...

    Arf... :/

     

Postar um comentário

<< Início