Make your own free website on Tripod.com

            H@ VIDA DEPOIS DOS 40

...com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas...

quinta-feira, 13 de março de 2008

cinzas do cautério

aproximei os lábios ao cautério
num beijo longo e demorado
unindo as duas partes interpostas
nada restou de voz - vivo calado

aproximei meus olhos do cautério
em masoquista olhar descontrolado
queimou-se córnea e íris - a menina
só vejo as labaredas do passado

aproximei meu dedos ao cautério
numa carícia longa e demorada
uni os cinco dígitos da mão
fugi das manipulações travado

aproximei o peito ao cautério
pulsando um coração descompassado
frigiu numa fusão arrependida
e derramou seus magmas cansados

aproximei a mente ao cautério
num pensamento louco acabrunhado
fundi idéias, derreti o cerebelo
agora arrasto os chinelos desvairado

me aproximei inteiro do cautério
em chamas, brasas vivas inflamadas
me consumi buscando a redenção
mas só restaram cinzas espalhadas

(ps.: texto readaptado do meu original por aqui publicado em 25/05/03)

3 Comentários:

  • Às 13/3/08 16:44 , Blogger biazinha disse...

    Tive que procurar o que é cautério e magma no dicionário...rsrss...Tio Tarciso tbm é cultura!
    A dor deixa cicatrizes que tempo nenhum apaga e talvez não haja resate.
    Lindo poema como sempre.
    Bom fim-de-semana!

    Beijos.

     
  • Às 14/3/08 09:54 , Blogger Camafunga disse...

    Bonito o texto bonita a página...
    Abraço...

     
  • Às 14/3/08 12:10 , Blogger Avulsos disse...

    lindo poema!! ritmado e "cauterizado" com sucesso!!
    Forte abraço, amigo!!

     

Postar um comentário

<< Início