Make your own free website on Tripod.com

            H@ VIDA DEPOIS DOS 40

...com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas...

segunda-feira, 17 de dezembro de 2007

no tabuleiro da vida

               O tempo todo estamos tomando decisões e, no entanto, há muitos indecisos ao nosso redor - quando nós mesmos não nos tornamos um deles. Pela manhã precisamos nos decidir entre levantar e permanecer na cama. Costumamos nos levantar. Em seguida tomamos automaticamente uma série de decisões e praticamos os atos decididos. Não costumamos nos dar conta de que a nossa rotina é repleta de pequenas e grandes decisões que podem comprometer para melhor ou pior o resto de nossas vidas. Não, não é minha intenção escrever mais um texto de auto-ajuda. Na verdade estaria refletindo em voz alta se não estivesse escrevendo no blog. Me ocorreu que o padrão de nossas decisões está diretamente relacionado com o padrão de nossos pensamentos. Pessoas pessimistas são muito cautelosas e cheias de precauções e tomam ou adiam suas decisões baseadas nesse padrão de excessiva cautela e precaução. Com isso não se expoem a riscos e, de outro lado, tampouco fazem experiências dignas de registro. Vivem uma vida robotizada, conduzidas por uma espécie de piloto automático que tem um vocabulário onde se repetem exaustivamente as palavras "não" e "senão"... O otimista exagerado, por seu turno, toma decisões baseadas em sua fé quase mística de que tudo vai dar certo, se expondo a toda espécie de riscos sem medir as consequências de seus atos. Geralmente sofre perdas pequenas e algumas grandes que não vê com a sua real dimensão. A posição intermediária pertence ao otimista realista que não se deixa influenciar por infundados pessimismos ou otimismos inconsequentes, mas avalia cada circunstância usando o padrão da realidade que vive e presencia. Ouve pessimistas e otimistas e desfere calculadamente o seu diagnóstico quando toma as suas decisões. Na maioria das vezes acerta e é bem sucedido. Algumas vezes erra e aprende com os próprios erros. O otimista realista sabe que pode ganhar ou perder e por isso não vive jogando de forma leviana. Quanto sente que tem boas possibilidades de ganhar ele se prepara para o lance, faz a jogada na hora certa e espera o resultado. Faz o seu jogo calculado... Diante do empreendimento de viver prefiro ser esse tipo de agente otimista realista que não evita o jogo quando é preciso jogar! E você, faz o seu jogo ou prefere nem jogar?!...