Make your own free website on Tripod.com

            H@ VIDA DEPOIS DOS 40

...com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas...

segunda-feira, 8 de janeiro de 2007

retrato de um sentimento alheio

Quando assoma aquela angústia sorrateira, a hora se faz despida dos minutos e jaz desarvorada sob os escombros de um relógio antigo com ponteiros desgastados. Jazendo ali sem cordas, sem pêndulo e sem os tiquetaques para demarcar o tempo, um zumbido entediante povoa todos os sentidos. O nonsense impera sobre o todo desvalido, restando o vazio da expressão e uma tristeza sem motivo. Passos autômatos e arrastados conduzem o corpo exausto. Funda ressaca após a guerra das entranhas, coração descompassado - olhar fugidio. E depois só resta o medo, o torpor e o fastio. Tudo isso junto em uma manhã cinzenta de janeiro quando ao anseio de um futuro luminoso se une a saudade imperiosa de um certo momento do passado. E o hoje é comprimido à exaustão, até murchar, até desvanecer, até ficar vazio!...