Make your own free website on Tripod.com

            H@ VIDA DEPOIS DOS 40

...com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas...

terça-feira, 19 de dezembro de 2006

indignação

Eu costumo escrever para órgãos de imprensa quando alguma coisa me incomoda. Desta vez vou publicar aqui também o e-mail que enviei ao jornalista Heródoto Barbeiro que é também âncora de rádio da CBN, a propósito de uma atitude que considero absurda e abusiva por parte dos nossos representantes no parlamento:

"Caro Heródoto Barbeiro

Ouço teu programa diariamente e não posso deixar de me expressar sobre esse assunto repugnante do aumento dos salários dos deputados e senadores, seja para condenar a auto-complacência dos nossos parlamentares ao apagar das luzes deste ano de vergonha, seja também para manifestar repúdio e exigir a revogação da proposta absurda. Embora respeite tuas reiteradas sugestões de enviar cobranças diretamente às caixas postais eletrônicas dos nossos deputados e senadores – considero de pouca eficácia dirigir lamentos a ouvidos moucos e entendo que a imprensa ainda é o melhor caminho para a ressonância da indignação civilizada.

Mas para não ficar apenas no problema sem oferecer propostas de solução, trago também uma sugestão para que nossos criativos representantes redijam e votem uma medida legal com o seguinte teor: “Os eventuais reajustes dos salários, ajudas de custo, verbas de representação e quaisquer outras rubricas pagas a membros eleitos ou nomeados para os poderes executivo, legislativo e judiciário, não poderão exceder o índice utilizado para a mais recente correção do salário mínimo”.

Afinal, se há um salário mínimo para a massa trabalhadora e aposentados e se há um teto máximo para os membros dos três poderes da república, porque não podem ambos obedecer aos mesmos parâmetros de reajuste? E se houver algum privilégio, não é óbvio que deveria se voltar para os assalariados e não às suas excelências que já tem as suas “burras” transbordando?!
Entre outras ações cívicas e responsáveis se espera de nossos representantes que usem com parcimônia os limitados recursos nacionais, priorizando de forma absoluta a redução das desigualdades sociais e a promoção da justa distribuição de renda!
Mas diante dessas excelências sanguessugas, mensaleiras e corporativistas que denunciam com suas atitudes o total descompromisso com a ética e a moral, indignação é pouco para expressar o sentimento de revolta da maioria do povo! Chegou a hora do basta!!!"