Make your own free website on Tripod.com

            H@ VIDA DEPOIS DOS 40

...com pensamento, opinião e poesia em doses homeopáticas...

sábado, 19 de agosto de 2006

tardes ensolaradas

Meu pensamento segue em ciclo acelerado o vento suave desta manhã e uma fina melancolia se insinua. Qual folha seca sou levado pelo rodamoinho modorrento dessa brisa matutina. Inevitável não olhar para dentro e encontrar aquela mesma neblina que insiste em visitar-me quando em vez por mais que passe o tempo. Quando sobrevém não se distingue nada muito além - nem olhando o passado e nem perscrutando o futuro. Sei ou intuo o que há numa e noutra direção, mas falta definição. Advinho os reflexos de sol no horizonte à minha frente e aspiro seu calor preguiçoso. De chuvas só aprecio aquelas torrenciais de verão que invadem e rolam desbragada e voluptuosamente pelo chão sem rompê-lo e ainda deixam um cheiro de terra molhada. Diante de tal visão, desse aroma da natureza, mergulho em reminiscências. Aonde estou agora?! Difícil precisar. Às vezes sou a infância, noutras me vejo nas loucuras da adolescência e raramente me assediam lembranças da vida adulta. O que ganhei ainda tenho mas como dói pensar nos que perdi. E o espelho inclemente revela o ponto em que me encontro e que dia é hoje. Manhã de sábado, como centenas já passadas. Tem sido o melhor dos dias da maioria das semanas já vividas. Amo as manhãs de sábado e na verdade o sábado todo me deleita. Mas hoje está cinzento e quase frio - um sábado atípico. Ainda assim persiste algum calor dentro de mim que impede me render aos arroubos de qualquer melancolia. Sublimo frustrações e espero pelo sol que já está vindo por aí!...